Qual a importância do SSD M.2 em um notebook para arquitetura?

Quando pensamos em um notebook para arquitetura, logo buscamos informações sobre processador, memória RAM e placa de vídeo. Afinal, os softwares de arquitetura realmente exigem muito desempenho, mas por vezes esquecemos outros pontos importantes. É o caso, por exemplo da qualidade da tela e do armazenamento, onde o SSD M.2 tem um papel essencial.

Confira nesse post tudo o que você precisa saber sobre o SSD M.2 e nossas dicas para ter um notebook para arquitetura completo!

Carregamento de arquivos mais rápido

SSDs são famosos pela superioridade técnica em relação aos HDs – discos rígidos. São uma evolução do HD e realizam leituras e gravações mais rapidamente que os HDs. Além de serem mais silenciosos, mais resistentes, mais leves e suportarem maiores temperaturas do que os HDs, os SSDs levam menos tempo para acessar à memória. Os HDs chegam a demorar até 10 vezes mais tempo, o que se agrava quando fica muito fragmentado. O que não acontece com SSDs, vale ressaltar, já que o acesso a arquivos é aleatório. Tudo isso se traduz em uma experiência de uso superior na hora de abrir e editar arquivos com AutoCAD, Revit e  SketchUp.

 

Carregamento de arquivos mais rápido SSD notebook para arquitetura

No caso do SSD M.2 essas diferenças são ainda mais pronunciadas. Afinal, trata-se de um armazenamento mais moderno do que o SATA III, ainda que suporte esse padrão por retrocompatibilidade. Não raro, alguns modelos chegam a ser até 2 vezes mais rápidos. Ou seja, trabalhar com um notebook equipado com SSD M.2 chega a ser cerca de 20 vezes mais rápido, do que trabalhar com um notebook equipado com um HD convencional.

Maior desempenho e produtividade para o profissional

Dependendo do tamanho do arquivo, a memória RAM disponível pode não ser suficiente. Isso não significa que a máquina não é capaz de lidar com o arquivo, já que os sistemas operacionais mais modernos alocam um espaço reservado no armazenamento como uma espécie de “backup de memória”. Trata-se da SWAP, mais popularmente conhecida como memória virtual no Windows. Ela é alocada automaticamente por demanda. Quando esse processo acontece em um HD, o desempenho do programa pode ficar severamente comprometido implicando na produtividade do arquiteto. Já em notebooks para arquitetura equipados com um SSD M.2 muitas vezes esse processo nem chega a ser notado, graças à velocidade superior e acesso aleatório randômico.

SSD M.2 memória notebook para arquiteto

Alguns projetos de arquitetura acabam exigindo mais memória RAM do que disponível, e o M.2 minimiza a perda de desempenho nestes casos.

Mobilidade, velocidade e armazenamento mais acessíveis $

Arquitetos que trabalhavam com notebooks há alguns anos sofriam com um grande problema: SSDs de maior capacidade eram muito caros. Diferentemente dos desktops, que suportavam vários discos simultaneamente, os usuários de notebooks sofriam com HDs grandes e lentos ou SSDs pequenos e rápidos. É aí que entra um dos grandes diferenciais do M.2. Por ser muito mais compacto, ele permite a instalação de um SSHD juntamente com um SSD M.2, como é o caso do G1513 Fox7. Para os arquitetos com maior necessidade de armazenamento e velocidade é possível equipar o notebook com dois M.2 em RAID 0, como é caso do G1711 Fox 8 GB. Ou seja, graças ao SSD M.2, já é possível ter muita velocidade e muito espaço de armazenamento por um preço mais acessível.

Mobilidade, velocidade e armazenamento mais acessíveis

Com o armazenamento extra proporcionado pela combinação do M.2 com HDs, os profissionais de arquitetura não precisam de preocupar nem com desempenho nem com espaço.

Dica: não se esqueça da precisão de cor em seus projetos

Desempenho é importante e o SSD M.2 com toda certeza é um componente essencial para isso, mas não podemos esquecer da qualidade de tela. Além de equipar seu notebook para arquitetura com um SSD M.2 também é importante cuidar na hora de escolher a tela.  Além de maior precisão de cor, resoluções maiores de tela permitem mais realismo na hora de trabalhar e apresentar seus projetos. E é possível encontrar ambos na página especial da Avell com modelos de telas de alto desempenho. Afinal, nada como ter a certeza de que o tom do vermelho que você está apresentando para o cliente no projeto será o mesmo tom aplicado na entrega.

Conclusão

A oitava geração de processadores Intel combinada com as placas de vídeo série 10 da NVIDIA aproximam cada vez mais os notebooks de desktops de alto desempenho. o que é uma excelente notícia para arquitetos que precisam de mobilidade. Mas, como vimos, não é apenas de desempenho que uma máquina precisa. Combinando processador, placa de vídeo, telas de alto desempenho aliados à um SSD M.2, você garante um notebook para arquitetura completo. Gostou? Confira nossos modelos para arquitetura.

notebook para arquitetura completo Avell

 

O que achou do post? Conte para nós nos comentários!