O que a série 16 da NVIDIA oferece de novo para quem usa a série 10?

Colocando de maneira simples e direta: quais são as diferenças entre a série 10 de placas de vídeo da NVIDIA e a série 16? Já exploramos cada uma delas mostrando seus principais diferenciais, mas a nossa ideia aqui é diferente. Para quem tem uma máquina com a série 10, quais são os diferenciais da série 16 que chamam a atenção na hora de fazer um upgrade? Estas são as perguntas que responderemos neste artigo.

Para saber:

Live streaming

Há, em primeiro lugar, uma diferença de propósito. A ideia da série 16 é oferecer uma boa experiência para quem faz streaming de jogos, proporcionando um nível de performance de acordo. 

Um upgrade e tanto, em especial para quem ainda usa a série 9.

São capazes de oferecer um desempenho confortável para a maioria dos jogos disponíveis por aí, reservando o segmento de altíssimo desempenho para a linha RTX. Tanto a série 16 quanto a série 20 utilizam a mesma arquitetura Turing, oferecendo todos os benefícios de uma arquitetura mais moderna, mas aquela conta com uma quantidade menor de núcleos e não suporta Ray Tracing.  

De qualquer forma, conseguem alcançar até 100 fps em jogos como Fortnite, Apex Legends e Overwatch, além de dificilmente deixarem o usuário na mão mesmo nos jogos mais exigentes. Sendo um pouco mais prático, quais modelos da série 16 substituirão os modelos da série 10? 

Level up

Respondendo de maneira rápida, a GTX 1660 fica entre a GTX 1060 e GTX 1070 assim como a GTX 1660 Ti, mas esta tem um desempenho muito próximo da GTX 1070. Já a GTX 1650 é uma atualização incremental em relação à GTX 1050, beneficiada também pela nova geração de processadores Intel. 

Tabela resumida das gerações recentes da NVIDIA.

São 896 núcleos de processamento CUDA na GTX 1650 (contra 768 dos modelos GTX 1050 e GTX 1050 Ti), 1408 núcleos na GTX 1660 (contra 1152 da GTX 1060) e 1536 na GTX 1660 Ti (abaixo dos 1920 núcleo da GTX 1070). São 4 GB de memória RAM dedicada na GTX 1650 e 6 GB de memória RAM dedicada nos chips 1660/1660 Ti. Lembrando, é claro, que é do tipo GDDR6, contra o GDDR5 utilizado na geração anterior.

Desktops e notebooks utilizam o mesmo chip.

Ou seja, tivemos uma espécie de “level up” em cada uma delas, uma atualização e tanto, considerando que estamos falando de apenas uma geração.

Conclusão

A série 16 pode ser entendida como uma atualização natural da série 10, ainda que restrita aos modelos mais básicos. Utiliza a mesma arquitetura da série 20 como a linha RTX, que parte da RTX 2060, mas sem suportar o Ray Tracing. Afinal, este não é o propósito da série, mas sim oferecer uma experiência confortável para os jogos mais populares.

O G1750 MUV da Avell é um notebook que incorpora basicamente tudo o que vimos aqui.

Assim como a série 10, não há diferença entre o chip utilizado no desktop e no notebook, o que significa que você pode ter todos os benefícios da nova geração sem abrir mão de desempenho. Se você busca uma atualização perceptível em uma máquina gamer mais básica, além de tirar proveito da nova geração de processadores Intel, a série 16 é uma opção e tanto.

Fontes: NVIDIA, Digital Trends, Patrick Coombe