Conheça a série 16 de placas de vídeo da NVIDIA

Afinal, o que é a série 16 de placas de vídeo da NVIDIA? Já conhecemos a série 20, sucessora da série 10, então o que significa uma série 16? Aliás, mesmo lançada após a série 20, possui uma numeração menor. O que está acontecendo? É isso que vamos entender neste artigo.

De cima para baixo

Pode parecer estranho, mas a NVIDIA não mudou a forma de lançamento de novos produtos nessa geração. Pelo menos em termos práticos. Seguiu a mesma estratégia utilizada há gerações: primeiro anuncia os modelos mais avançados, depois foca nos modelos mais básicos.

A série 16 é uma novidade e tanto, especialmente para notebooks.

Primeiro anunciou os modelos RTX 2080, RTX 2080 Ti, RTX 2070 e Titan RTX. Em seguida, conhecemos a RTX 2060, e agora temos a GTX 1650, GTX 1660 e GTX 1660 Ti. São arquiteturas diferentes? Não, todas usam a arquitetura Turing. Alguns modelos RTX e outros são GTX. Confuso, não?

Na verdade é muito simples: as duas grandes diferenças dos novos modelos GTX em relação aos RTX tops de linha são a ausência de núcleos tensores e o fato de não serem capazes de lidar com ray tracing em tempo real.

Segmentação honesta

O que vimos acima nos leva à pergunta: por que remover (“capar”, como geralmente é dito) os modelos mais básicos? Tudo bem que há uma segmentação de preços e recursos, mas por que retirar diferenciais exclusivos da própria empresa? Pode parecer uma “forçada de barra” da NVIDIA, mas é nada mais o que honestidade: são modelos que não são capazes de oferecer esses diferenciais se eles estivessem presentes.

Vamos dar um exemplo de outra área. Imagine um carro que possui um recurso de ponta disponível nos modelos mais avançados. Por exemplo: direção autônoma, algo bastante inovador, mas que exige um motor de altíssima potência.

Projetadas para games como Fortnite e PUBG.

É um recurso que funciona muito bem, e a empresa em questão anuncia sua nova linha com modelos mais básicos que não suportam esse recurso. São modelos menos potentes, sem potência o suficiente para sustentar a direção autônoma. Faria sentido usar direção autônoma mesmo assim, sem que o motor seja capaz de executá-la de forma competente? Não, e é por isso que o modelo mais básico é anunciado sem ele, mesmo sendo de uma nova linha.

Naturalmente, trata-se apenas de um exemplo de ilustração, já que direção autônoma não exige um motor potente, mas que demonstra o que a NVIDIA fez. Em vez de usar RTX, prometendo o suporte a uma tecnologia que exige mais da GPU, ela simplesmente foi honesta. Os modelos da série 16 usam a nova arquitetura oferecendo um upgrade interessante, em vez de entregar uma experiência abaixo do que o usuário espera.

Conclusão: série 16 e série 20 usam a arquitetura Turing

Essencialmente, a série 16 e a série 20 pertencem à mesma família. A série 20 engloba os modelos avançados, enquanto a série 16 incluem os modelos básicos e intermediários dessa nova geração. E a numeração se mantém. A GTX 1650 é a atualização da GTX 1050, enquanto a RTX 2070 é a atualização da GTX 1070. A letra indica se há suporte ao ray tracing e a presença dos núcleos tensores ou não.

Mesmo o modelo mais básico com a GTX 1650 é um upgrade e tanto em relação à série 9.

Isso significa que os modelos mais básicos, os GTX da série 16, continuam com o mesmo foco: jogos como PUBG, Fortnite e Apex Legends. Trazem uma nova arquitetura, mais desempenho e tecnologia de forma geral. E são capazes de oferecer uma excelente experiência, como veremos nos próximos artigos.

Fontes: NVIDIA, Digital Trends, IGN, Tech Radar