Placa de vídeo: Como escolher?

Taxa de Quadros, Memória Dedicada, barramento de memória… Dentre tantas informações, como saber qual modelo de placa de vídeo é a melhor opção, garantindo que o hardware possua capacidade para executar as tarefas designadas? Eis uma dúvida comum entre aqueles que estão em busca de um equipamento para jogos ou para trabalhos profissionais, ou que simplesmente possuem interesse pela tecnologia.

As placas de vídeo são itens responsáveis por gerar as imagens que são exibidas na tela de um computador. Há uma vasta quantidade de placas com os mais variados recursos e é essencial conhecer ao menos os dispositivos que as compõem e entender um pouco de seu funcionamento.

Recomendamos ler: Entenda como é o funcionamento de uma placa de vídeo passo-a-passo!

Placa de Vídeo: Quantidade de Memória não é tudo!

Uma das principais informações enunciadas junto ao modelo da placa de vídeo é o número de memória dedicada, o que leva a acreditar que quanto maior seu número, melhor desempenho o equipamento fornecerá durante as execuções.

Determinadas aplicações (e jogos, principalmente) lidam com até certa quantidade de memória. Após isso, a memória restante não é utilizada.
É claro que alta quantidade de memória pode ajudar — quanto mais memória, menor a probabilidade de o jogo começar a travar para carregar novas partes do cenário, por exemplo. Porém, nem sempre “mais” garantirá melhor qualidade.

A GPU é a responsável pelo processamento de todos os gráficos do seu jogo. Caso a GPU seja lenta, você terá sérios problemas para jogar algo pesado com boa qualidade gráfica e taxa de frames aceitável — logo, não adianta ter muita memória para armazenar os dados do jogo se a GPU mal consegue fazer uso dela.

Taxa de Quadros

Uma boa medida global do desempenho de uma placa de vídeo é a sua taxa de quadros, medida em Quadros por Segundo (FPS – Frames per Second). A Taxa de quadros descreve quantas imagens completas pela placa podem ser exibidas a cada segundo. Para você ter uma dimensão, o olho humano tem a capacidade de processar cerca de 25 FPS, mas os jogos de ação requerem pelo menos 60 FPS para proporcionar animação suave em continuidade.

Os componentes da taxa de quadros são:

• Triângulos ou vértices por segundo: Imagens 3D são feitas de triângulos ou polígonos. Esta medida descreve quão rapidamente a GPU pode calcular todo o polígono ou as suas vértices. Em geral, descreve quão rápido a placa constrói uma imagem de armação.
• Taxa de preenchimento de Pixel: Esta medição descreve quantos pixels a GPU pode processar em um segundo, ou seja, a velocidade em que ele rasteriza a imagem.

O Hardware da placa de vídeo afeta diretamente sua velocidade. Aqui vão algumas especificações de hardware que mais influenciam a velocidade da placa e as unidades em que são medidas:

Velocidade de Clock (GPU clock speed), em MHz;
Taxa de clock de Memoria, em MHz;
O Clock nada mais é que um sinal de sincronização entre os dispositivos. A medição do clock é feita em Hertz (Hz), indicando o número de ciclos que ocorrem dentro de uma determinada medida de tempo (segundos, no caso). Quanto maior a frequência de uma GPU, melhor é seu desempenho.

Tamanho do barramento de memória, em bits;
Barramento corresponde às trilhas de comunicação que permitem a transferência de dados entre a memória e a GPU. Quanto maior o barramento, mais dados podem ser transferidos por vez.

Quantidade de memória dedicada, em MB;

Largura de Banda (bandwidth), em GB/s;
A Largura de banda determina a velocidade da transmissão dos dados.

O processador e a placa-mãe também desempenham um papel importante para uma boa performance da placa de vídeo, uma vez que uma potente placa não pode compensar a incapacidade de uma placa-mãe na velocidade de envio de dados. Da mesma forma, a conexão da placa de vídeo com a placa-mãe e a velocidade com que se pode obter instruções da CPU afetam sua performance.

Uma placa de vídeo de nível mediano é suficiente para a maioria dos jogadores casuais. Já o poder de uma placa de vídeo de alto desempenho é destinada a entusiastas de jogos e aos que trabalham com renderização e trabalho gráfico em 3D, assim como os softwares mais exigentes. Esclarecendo as questões, fica a critério do usuário definir qual a melhor opção de acordo com as exigências quanto às suas aplicações.

Dúvidas? Possui alguma informação a acrescentar? Contribua conosco participando nos comentários!